7 táticas infalíveis para tirar suas ideias do papel

 em Criatividade, StartUps

Quantas ideias geniais já surgiram, borbulharam na sua mente por alguns dias, foram tópicos de conversas empolgadas com amigos e de pesquisas no Google, mas nunca saíram do papel?

Acho que todo mundo já passou por essa situação mais de uma vez na vida.  Gaiman brincou com essa ideia quando em Sandman criou a “Biblioteca de Lucien”, um lugar onde estavam armazenados todos os livros pensados, idealizados, mas nunca escritos. Então se estava imaginando que só você e um punhado de pessoas passavam por isso, posso garantir que não.

Mas o que eu devo fazer para tirar ideias do papel?

Obviamente pode acabar sendo um pouco frustrante idealizar um novo projeto e lembrar de todos aqueles que nunca se tornaram realidade. Pensando nisso juntamos 7 dicas simples que vão te ajudar a identificar o potencial de cada ideia e criar o mindset necessário para colocar seus projetos para frente.

1. Coloque no papel.


Ideias no papel

Sei que pode parecer estranho que para tirar ideias do papel tenhamos que primeiro coloca-las lá, mas escrever (ou digitar) sua ideia descrevendo em detalhes é uma estratégia poderosa. Na nossa cabeça temos muitos pensamentos soltos, mas ao escrever algo nos sentimos numa obrigação inata de embasar e justificar aquilo. Logo uma ideia abstrata acaba se transformando (ou não) em um projeto viável. As vezes no meio da escrita você acaba percebendo furos que deixam aquela ideia perfeita não tão perfeita assim.

É importante que você finalize o relatório. Mesmo que agora você não consiga encontrar soluções para alguns dos problemas que encontrar. Depois de alguns dias com a mente fresca e novos aprendizados você pode encontrar a peça que faltava do seu quebra-cabeça. A dica é detalhar essa ideia o bastante para que alguém que nunca ouviu falar dela consiga a entender.

2. Analise os prós e contras.


prós e contras

Quando a ideia é nossa muitas vezes temos uma dificuldade enorme de dar um passo atrás e pensar nas falhas dela. Esse é um exercício que não pode faltar em nenhum projeto. Uma boa dica é criar uma “Tabela de Viabilidade”.

  • Comece pelos prós: É sempre mais fácil pensar coisas boas das ideias que acabamos de ter, então essa parte deve fluir tranquilamente.
  • Mude o ponto de vista: Essa já é uma parte mais difícil. Você deve analisar seus próprios pontos positivos de um outro ponto de vista. Analise seu prós e como cada um deles pode dar errado.
  • Pegue a onda: Agora que você já está listando os possíveis pontos negativos relacionados aos prós tente pensar em mais alguns. Imagine situações problema que a sua ideia pode enfrentar e aumente a lista de contras o máximo que puder.
  • Respire fundo: É muito importante que a sua lista de contras seja o maior possível. Não porque você não deva tirar a sua ideia do papel, mas para que você possa antecipar problemas. Cada ponto que pode fazer com que, mesmo que ela venha a se tornar realidade, acabe por não durar muito tempo. Então agora que você terminou a lista de contras, descanse um pouco, esfrie a cabeça. Depois de um tempo volte e tente achar uma solução para cada um dos problemas que você antecipou.

3. Conheça os Stakeholders.


stakeholders

Stakeholders são todos aqueles que tem interesse ou podem ser afetados pela sua ideia. Uma das habilidades mais importantes na hora de realizar projetos é a empatia. A habilidade de conseguir enxergar pelo ponto de vista dos outros.

Um grande exemplo de como a empatia pode mudar a sua ideia completamente é o de Doug Dietz. Doug é um projetista de maquinário hospitalar para a GE. Um dia ele criou uma máquina de ressonância magnética extremamente eficaz. Orgulhoso por seu projeto ele foi visitar um dos hospitais e acabou se surpreendendo ao ver uma criança chorando de medo ao entrar em uma de suas maquinas. Naquele momento ele descobriu que 80% dos stakeholders da sua ideia, no caso as crianças que utilizavam a sua maquina, tinham que tomar sedativos para conseguirem ser examinadas.

Dietz conseguiu reverter esse problema de uma forma incrível e criativa. Ele criou uma experiência lúdica para que as crianças que precisassem usar seu equipamento se sentissem participando de uma aventura. A história completa você pode ver aqui. Na prática, tudo isso poderia ter sido antecipado se na hora do planejamento ele conhecesse seus stakeholders e conseguisse ver a sua ideia pelos olhos deles. Dessa forma ele anteciparia possíveis problemas e encontraria soluções para um resultado final mais efetivo.

4. Converse com seus amigos.


Converse

Por mais ampla e cheia de conhecimento que sua mente possa ser, ela é apenas sua. Muitas vezes pode ser crucial conversar com outras pessoas (de confiança) sobre sua ideia. Perguntar o que elas acham, escutar o seu ponto de vista. Você pode acabar encontrando pontos que nem mesmo nos processos anteriores tinha pensado.

Em alguns casos esses amigos podem acabar se tornando mais do que simples consultores. Nem sempre um projeto ou ideia tem que ser realizada de forma solitária. Pessoas podem embarcar na missão de tornar essa ideia uma realidade lado a lado com você. De qualquer forma conversar levará você um passo a frente na sua missão.

5. Atenção aos detalhes.


detalhes

Agora que você provavelmente já sabe quem a sua ideia afeta e como, é a hora de delimitar o ambiente onde ela se aplica. É importante ter a resposta para algumas questões como:

  • Sua ideia exige alguma plataforma ou tecnologia específica para ser executada? Qual?
  • Qual o custo estimado de produção ou execução do seu projeto?
  • Qual as atividades burocráticas que você precisa fazer antes de colocar sua ideia em prática? Abertura de empresa? Registro de marca? Patente?
  • Como seus Stakeholders vão saber da existência do seu projeto? Quanto você irá investir em Marketing e Divulgação? Como?

A ideia é listar todos aqueles detalhes que juntos fazem com que a sua ideia seja consistente e bem embasada.

6. Experimente. Aprenda. Experimente de novo.


Feedback

Antes de abrir seu projeto para o público geral teste ele em um grupo menor. Faça um protótipo, simule uma situação com um grupo de amigos. Se possível use pessoas dentro das características do seu público-alvo. Escute o que elas tem a dizer sobre as experiências e sensações que tiveram. O que elas gostaram? o que não gostaram?

Melhore os pontos negativos e teste de novo, até um ponto em que você considere que a experiência do consumidor está bem definida. Muitos projetos acabam morrendo nos seus primeiros meses por não testar sua eficácia junto ao seu potencial consumidor. Isso com certeza vai te evitar muita dor de cabeça.

7. Faça.


Faça

A dica mais importante que eu posso te dar é também a mais óbvia. Faça. No fim das contas tudo isso só depende de você. Organize cada pequeno ponto como uma meta a ser alcançada e se esforce em cumprir cada uma delas. Crie uma checklist, defina prazos, essas são algumas estratégias simples, mas poderosas que vão estar sempre te lembrando do que você precisa fazer para conseguir enfim tirar aquelas ideias do papel.

Mantenha em mente que nem todas as ideias vão dar certo. A maioria pode demorar um tempo para de fato funcionar, mas a importância de botar a mão na massa é te dar a experiência para superar problemas e a confiança para realizar este, ou qualquer outro projeto que você tiver daqui para frente.


Pensou em mais alguma dica que pode ser útil na hora de transformar ideias em realidade? Coloque nos comentários! Até o próximo post!

Postagens Recentes
Vamos conversar?

Em breve um de nossos consultores entrará em contato.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt