As mulheres do Oscar 2018

 em Criatividade, Entretenimento

Durante anos acompanhamos muitos discursos sobre inclusão e igualdade de gênero; discursos estes que tinham como uma das finalidades combater a ideia que objetifica e diminui a mulher. Como em 2015 quando o Ask Her More (pergunte mais a ela) pedia para que a cobertura do tapete vermelho perguntasse mais as mulheres do oscar do que apenas “o que você está vestindo hoje?”.

Porém, em 2017 o ano foi marcante para as mulheres, dentro e fora do cenário hollywoodiano. Nesse ano foi lançada a campanha Time’s Up (o tempo acabou) apoiando a igualdade de gênero na área de trabalho e dando apoio ao combate à violência sexual; depois dos casos expostos por outra campanha, #MeToo (eu também), onde mulheres contavam relatos dos assédios e abusos sexuais sofridos em Hollywood.

No Oscar 2018 houveram algumas, pequenas, mas importantes mudanças em resposta a essas campanhas. Das 20 categorias, tivemos pelo menos uma representante feminina para cada uma, exceto Trilha Sonora, Edição de Som e Efeitos Visuais. Nada que não se possa trabalhar para o próximo ano, certo? Foram 47 mulheres, 23% dos indicados, excluindo duas categorias de atuação que são separadas por gênero (Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante), mas apenas 4 levaram a estatueta para casa.

Apesar de parecerem pequenos números, as mulheres tiveram grande notoriedade no Oscar 2018, tanto que já foi apelidado como o “Oscar das Mulheres”. Por isso, separamos um material especial para aquelas que representaram e marcaram a noite na premiação. Vamos lá!

Time’s Up


Já que falamos do Time’s Up, vamos começar pelas três atrizes que marcaram a noite no palco do Dolby Theatre e falaram em nome do movimento. Annabella Sciorra, Salma Hayek e Ashley Judd. Elas foram algumas das mulheres que acusaram o produtor Harvey Weinstein, acusações essas que deram início a toda movimentação das campanhas #MeToo e o próprio Time’s Up. Logo em seguida o público assistiu um vídeo com depoimentos de pessoas que também acusaram Weinstein.

 

Dee Rees


Dee Rees foi a primeira mulher negra a concorrer ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado. Única representante feminina na categoria, Rees é indicada pelo filme Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi. Ela também é diretora do mesmo longa, mas não chegou a ser indicada nesta categoria. Mudbound concorreu ao Oscar de Melhor Filme.

 

Rachel Morrison


Rachel Morrison se tornou a primeira mulher indicada ao Oscar de Melhor Fotografia, também pelo filme Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi. Grandes conquistas no ano de 2018, não disse? Apesar de não ter levado a estatueta, Morrison fez história. Em 90 anos, essa era a única categoria da premiação sem distinção por gênero que não havia uma mulher indicada.

Isso foi tão importante para o legado do cinema que nós fizemos uma matéria especial sobre a Rachel Morrison, você pode ler ela aqui.

 

Greta Gerwig


Não podemos falar da Greta Gerwig sem antes citar a Emma Stone. Na hora de anunciar os indicados ao Oscar de Melhor Direção; a atriz fez questão de destacar o fato de apenas uma mulher estar na disputa pela estatueta.

O que já é algo a mais comparado ao Golden Globes 2018 onde os indicados na mesma categoria eram todos homens; ponto bem observado pela atriz Natalie Portman.

A diretora Greta Gerwig (Lady Bird: É Hora de Voar) veio para fazer a diferença no cenário cinematográfico. Ela se tornou a 5ª mulher indicada na categoria Melhor Direção em toda a história da premiação, e também concorreu a Melhor Roteiro Original.

Lady Bird foi uma das indicações a Melhor Filme, contando a história do crescimento e amadurecimento de uma garota no seu último ano da escola; e todos os conflitos que seguem no seu relacionamento com a mãe.

 

Meryl Streep


A icónica Meryl Streep parece ser a única certeza que teremos no Oscar; apesar de não ter levado a estatueta na categoria Melhor Atriz pelo longa The Post: A Guerra Secreta, ela estava lá deslumbrante com a sua 21º indicação. A atriz é recordista de indicações e está a bem a frente de atores e atrizes.

Streep já levou três das 21 indicações, elas foram por:  Kramer vs. Kramer (1979), A Escolha de Sofia (1982) e A Dama de Ferro (2011).

 

Octavia Spencer


Octavia Spencer foi a primeira atriz negra a ser indicada duas vezes consecutivas pela Academia, ela concorreu na categoria Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme A Forma da Água. A atriz já tinha outras duas indicações na mesma categoria por Estrelas Além do Tempo (2016) e Histórias Cruzadas (2011), o último lhe rendeu a estatueta. Assim ela se iguala ao recorde de Viola Davis como a negra que mais concorreu ao Oscar.

 

Daniela Vega


Não acabou!! A chilena Daniela Vega é a primeira mulher trans a participar da cerimônia do Oscar como uma das apresentadoras. Vega não chegou a concorrer na categoria de Melhor Atriz; mas é a estrela do longa Uma Mulher Fantástica do diretor Sebastián Lelio que levou o Oscar na categoria Melhor Filme Estrangeiro.

 

Frances McDormand


Por último, mas não menos importante, a vencedora da categoria Melhor Atriz, Frances McDormand – aplausos. Atriz levou o Oscar pelo filme Três Anúncios Para Um Crime, sendo a sua segunda estatueta, a primeira foi em 1997 pelo filme Fargo. Frances chamou a atenção da mídia por aparecer na cerimônia sem maquiagem, sem cabelo feito, sem joias e com muita coisa para falar. Primeiro ela convidou todas as mulheres indicadas a levantarem, como uma forma de homenageá-las por estarem ali e por lutarem pelo seu espaço dentro do mundo do cinema; em seguida falou:

“Todas nós temos histórias para contar e projetos para financiar. Não falem conosco sobre isso nas festas esta noite. Nos convidem para seus escritórios daqui uns dias. Ou podem ir aos nossos. O que for melhor. E contaremos tudo sobre eles. Tenho três palavras para deixar com vocês esta noite, senhoras e senhores: cláusula de inclusão”

Foi de tirar o fôlego, não adianta dizer que não. Mas vamos lá, cláusula de inclusão, o que é isso?

Sobretudo, a cláusula de inclusão é algo que atores e atrizes pode exigir em seu contrato certificando que uma certa porcentagem dos atores envolvidos num filme e também equipe técnica; seja reservada para garantir a diversidade da produção.

Com isso, a noite e nosso post é fechado. Será que no próximo ano os números de mulheres na cerimônia, indicadas e vencedoras de Oscar vai aumentar? Será que vamos ter mais mudanças nesse cenário? Só saberemos depois.

 

E aí, gostou do post? Tem alguma para acrescentar? Deixe seu comentário. Até a próxima!

Postagens Recentes
Vamos conversar?

Em breve um de nossos consultores entrará em contato.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt